Como se tornar um agricultor de sucesso

Como ser um agricultor bem sucedido

Agricultura para IniciantesComo ser um Agricultor – Guia Passo a Passo

Vivemos em uma era onde mais e mais pessoas de diferentes áreas, com experiências, idade e níveis de educação totalmente diferentes buscam mudar suas vidas, se mudando para o campo e começando um negócio de agricultura.

Já que não é fácil se tornar um agricultor sem nenhuma experiência, esse guia irá ajudá-lo a esclarecer as coisas e entender os passos básicos que você deve tomar.

Primeiro de tudo, é muito importante entender o que, de fato, os agricultores fazem.

O que um agricultor faz? 

Definimos como agricultor qualquer um que gera sua renda trabalhando no setor primário, criando organismos vivos seja para comida ou por materiais crus (o algodão por exemplo). Acredita-se que os agricultores sejam pessoas conectadas à natureza, usando a maior parte do seu tempo no campo, seja cultivando plantas ou criando animais. Isso é parcialmente verdade. Entretanto, agricultores contemporâneos de estufa podem ficar dentro de suas instalações o dia inteiro e nem conseguirem ter acesso à luz solar. De todas as formas, os agricultores não possuem horário de trabalho específico. Eles lidam com organismos vivos e isso as vezes cria uma bagunça na sua agenda pessoal. Não é fácil ter uma agenda de trabalho estruturada. Alguns não possuem férias ou dias de descanso. A agricultura requer dedicação integral, amor e paixão para ser bem-sucedido.

Passo 1: Decida o que quer cultivar e em qual campo específico – Consigo lucrar? 

Escolhendo a cultura certa

Primeiro de tudo, você tem que decidir o que vai cultivar. Apesar disso soar algo fácil, na verdade é a decisão mais complicada. O tipo de planta (ou animal) que você vai escolher é talvez a decisão mais crucial que você vai tomar.

A agricultura é dividida em categorias dependendo da produção. As principais categorias são:

Agricultura 

Arboricultura (árvores frutíferas comerciais), Agricultura de Vegetais e Frutas, produção de Madeira, produção de Biomassa, Agricultura de Grãos, Culturas Forrageiras, Agricultura de Ervas, Agricultura de Uvas (Viticultura), Agricultura de Bagas, Plantações Especiais como Algodão e outros. A maioria dessas plantações são feitas em áreas externas. Algumas delas podem ser feitas em ambientes internos (estufas) com solo ou ar/água como meio de substrato.

Pecuária

Nessa categoria, temos agricultores que criam animais principalmente por seu leite, carne ou ovos. Alguns exemplos são vagas, ovelhas, cabras, porcos, aves (galinhas, patos etc.), etc. Algumas autoridades não consideram o cuidado de aves como Pecuária, mas como uma categoria separada.

Apicultura

A apicultura é um tipo especial de criação de animais. Os apicultores criam abelhas das quais eles coletam o mel, pólen, geleia real ou cera.

Criação de Caracol

Os criadores cuidam de caracóis sejam por sua carne ou por sua “geleia” excretada.

Criação de Minhocas

Esse é um tipo especial de criação, onde os criadores cuidam de minhocas para usá-las para conversão de lixo para fertilizantes orgânicos.

Antes de começar, é crucial fazer uma pesquisa aprofundada da sua cultura ou animais desejados. Assim que você tiver escolhido 3-4 potenciais culturas, você deve considerar entrar em contato com produtores locais e cientistas agrônomos para se informar sobre os tipos de plantas e variedades que prosperam nessa área em particular.

Combine o cultivo com o mercado

Primeiro de tudo, você deve definir seu cliente para determinado cultivo. Que vai comprar seus produtos? Qual é o número de potenciais clientes na sua região para a cultura que você escolher? Qual o preço que eles pagam por produtos similares? Eles pagam em dinheiro ou no cartão? Quando eles compram o produto? Você precisa de armazéns para que você tenha mais tempo para negociar um melhor preço? Você pode exportar seu produto (encontrar compradores de outros países)? Existe uma demanda real para o produto que você escolheu?

Um erro comum de novos agricultores é que eles começam o estabelecimento de suas culturas sem levar em consideração nenhuma dessas perguntas. Se não existe demanda pelo seu produto, você provavelmente irá quebrar, mesmo que você produza um excelente produto. Portanto, você pode começar com uma lista de culturas e começar a examinar mercados em potencial para cada uma delas. Você pode ter que excluir aquelas culturas que você não tem certeza se consegue vender a produção. Em alguns casos, agricultores iniciantes se juntam a um grupo de agricultores locais (associação) para que existam sinergias. Em vários países, agricultores (que cultivam determinada cultura) formam uma associação. A associação cria um Departamento de Marketing e emprega um grupo de pessoas responsáveis por encontrar mercados para os produtos. Dessa forma, todos agricultores pagam uma taxa e terceirizam as vendas e as atividades de marketing. Portanto, eles possuem mais tempo de investir em suas atividades principais. Mas mesmo nesse caso, você sempre deve ter um entendimento básico do mercado-alvo dos seus produtos para que você sempre esteja pronto para encontrar uma alternativa.

Escolhendo o campo certo para essa cultura

A topografia da área, o tipo de solo, as condições ambientais e o clima são fatores muito importantes que todos agricultores em potencial devem saber antes de começar qualquer atividade. A localidade do campo pode mudar muito seu plano de negócios e sua rotina diária. Por exemplo, criadores de gado em áreas com uma flora rica e diversa podem depender mais de pastos para alimentar seus animais. Por outro lado, criadores de gado em áreas sem flora terão que comprar ração, algo que certamente aumentará os custos.

Sem um campo, você não pode começar um negócio de agricultura. Existem dois cenários quando se trata da seleção do campo. Caso você seja dono da terra, as coisas são fáceis. Porém, caso você não seja o dono da terra, você terá que alugar ou pegar emprestado o(s) campo(s) de alguém e aqui é onde os problemas começam.

Você deve ter em mente que existem categorias de planta que você deve evitar caso você não seja proprietário de terra. Categorias de plantas perenes podem não ser apropriadas por diversos motivos. Primeiro de tudo, o custo pode ser muito alto caso você tenha que alugar um campo por vários anos. Além do mais, quando se trata de árvores frutíferas comerciais, você tem que saber que a maioria não produz frutos antes de 6-7 anos. Portanto, você terá que pagar aluguel sem ter nenhum rendimento por vários anos. Além do mais, existem problemas legais. Mesmo que você assine um contrato no qual você tem permissão de ocupar o terreno por 30 anos ou mais, o arcabouço legal pode mudar nesse tempo tão longo. Portanto, você pode ser obrigado a destruir sua plantação e sair e, em alguns casos, sem receber nenhuma compensação. Caso você e sua família não sejam donos da terra, você deve evitar culturas de engajamento de longo prazo. Ervas perenes duram de 6-12 anos. Videiras e árvores frutíferas normalmente amadurecem 7-8 anos após o plantio e continuam a dar um bom rendimento por 30-60 anos ou mais. Você deve considerar evitar essas categorias. Por outro lado, a maioria dos vegetais pode ser colhida (portanto gerando renda) 3-5 meses após o transplante ou o semeio. Essas culturas podem ser mais apropriadas para um agricultor novato.

Cereais (trigo, cevada, milho e algodão) podem ser colhidos 6-9 meses após o semeio, porém essas culturas são consideradas commodities. Isso significa que seu preço é principalmente determinado pelo mercado – compradores de acordo com a demanda local e suprimento. Esse é um panorama muito competitivo e um agricultor novato raramente lucra ao cultivar commodities durante seus primeiros anos de agricultura. Entretanto, existem casos e casso e, sim, em alguns casos pode ser financeiramente interessante iniciar um cultivo de uma commodity em algumas áreas.

De qualquer forma, o campo que você vai escolher deve ser apropriado para sua cultura escolhida. É sua responsabilidade fazer sua pesquisa sobre a estrutura do campo, níveis de pH e histórico de cultivos. Coletar 3-4 amostras de solo de locais diferentes do campo e mandá-los ao laboratório é essencial. Um agrônomo local licenciado pode inteirá-lo sobre se o solo é apropriado para essa cultura. Você também pode receber conselhos sobre quaisquer ações corretivas que você deve tomar para restaurar a fertilidade do solo. Finalmente, você deve examinar os níveis de precipitação anual da sua região assim como os dados das primeiras e últimas geadas dos anos.

Outro fator importante é se o campo possui acesso à água. A maioria das culturas comerciais precisa de irrigação para ter rendimentos aceitáveis. Caso você escolha um campo que não tenha acesso a uma fonte de água, você precisará usar tanques de água transferidos da fonte mais próxima. Para transportar os tanques de água, você precisará de tratores. O custo e o esforço serão altos.

Examine os Custos Totais e os Lucros Totais Projetados. Eu irei lucrar?

Por enquanto, você acabou com um número limitado de alternativas na sua lista. Agora é hora de fazer um pequeno plano de negócios, examinando seu rendimento potencial que irá receber de cada uma das alternativas, baseado nas receitas e nos custos projetados. A forma de fazer isso é simples. Tente entrar em contato com agricultores bem-sucedidos que possuem anos de experiência nas culturas que você está pensando em cultivar. Essas pessoas, considerando que sejam honestas e queiram compartilhar os detalhes, são as melhores fontes de informação sobre os preços de mercado e os custos envolvidos. Entretanto, para uma opinião mais científica, especialistas em agricultura também podem te ajudar ao levar em consideração todos os parâmetros e criando um plano de negócios para você.

Você pode pensar, “qual pode ser o custo de um cultivo?” Na verdade, dependendo do tipo de cultura, o custo pode variar de algumas centenas até alguns milhões de dólares por anos. Os custos incluem:

  • O custo de instalação. Por exemplo, quando se trata de cultivo em estufas, o custo pode ser muito alto já que exige vários equipamentos caros (a armação, coberturas, ventiladores, aquecedores, lâmpadas etc.).
  • Custo da preparação do solo: Aração, Nivelação ou Restauração da Fertilidade do Solo
  • Custos de compra de Sementes/Plantas
  • Custo da irrigação: A maioria das plantas precisa de irrigação para crescer e ter um rendimento mediano. Portanto, para agricultura comercial, em muitos casos, você pode precisar instalar um sistema de irrigação.
  • Redes protetoras e coberturas: Algumas plantas podem ser mais sensíveis que outras e os agricultores precisam protegê-las de certas condições ambientais.
  • Custo de Fertilizantes ou Adubo: A maioria das plantas, quando cultivadas para uso comercial, precisam de “alimentação” para terem um rendimento aceitável.
  • Substâncias de proteção à plantação: Produtores que praticam a agricultura convencional podem ter que comprar produtos agroquímicos que protegem a plantação de pragas e doenças.
  • Custo do trabalho: Um dos custos mais importante são os custos de trabalho. É quase impossível trabalhar totalmente sozinho; você terá que contratar pessoas para ajudá-lo, pelo menos nas fases críticas da plantação (por exemplo, a colheita).
  • Custo de maquinaria: Alguns tipos de plantação precisam de maquinaria especial para fazer o semeio ou colheita.
  • Custo de armazenamento: Para produtos que não são transferidos ao mercado no mesmo dia que são colhidos, os agricultores podem ter que construir áreas especiais onde irão armazenar os produtos. Na maioria dos casos, essas áreas são equipadas com sensores que controlam a temperatura, umidade e níveis de CO2.
  • Custo de transferência: Isso também pode ser uma fração importante do custo total. Onde está seu comprador? Em vários casos, agricultores pagam os custos de transporte.
  • Custo do seguro da plantação.
  • Taxas dos vários especialistas e cientistas que irão lhe aconselhar.

A respeito dos ganhos projetados, normalmente precisamos de 3-4 fontes. Primeiro, precisamos calcular a área total da superfície da nossa lavoura. Segundo, precisamos pesquisar sobre o rendimento médio da nossa plantação em nossa região. Ao multiplicar esses dois, conseguimos nosso rendimento projetado total. Por exemplo, vamos supor que queremos cultivar berinjelas e nosso campo tem 8 hectares. Sabemos que o rendimento médio da berinjela por hectare na nossa região é de 25 a 40 toneladas por hectare. Portanto, devemos multiplicar 8 hectares X 25 toneladas = 200 toneladas de berinjela. Finalmente, devemos pesquisar o preço de mercado da berinjela em nossa região (não o preço de varejo, mas o preço que o agricultor consegue). Vamos supor que os agricultores digam que o preço é $100 por tonelada. Então, nossos ganhos projetados serão 200 toneladas X $100 por tonelada = $20.000. Tenha em mente que escolhemos o menor rendimento possível (25 ao invés de 40 toneladas) pois agricultores iniciantes normalmente não conseguem produzir o máximo, nem mesmo o rendimento médio. Muitas vezes, os rendimentos médios reportados online podem só ser obtidos por agricultores bem-sucedidos após muitos anos de experiência. Além do mais, pode haver desvios significativos desses números. Por exemplo, nem todas variedades de berinjela podem ser vendidas pelo mesmo preço. Vendedores também podem comprar seus produtos por preços muito menores ao dizer que seus frutos não são uniformes (isso é um problema frequente de agricultores iniciantes). Porém mesmo nesse caso, devemos ter uma visão geral dos nossos lucros projetados para essa cultura em específico.

Examinar e documentar todos esses custos e ganhos projetados é essencial para descobrir se você irá lucrar quando sua plantação ficar madura. Várias pessoas estão muito cansadas do seu estilo de vida na cidade. Eles simplesmente querem uma nova vida ao se envolverem em atividades de agricultura no interior. Entretanto, fazer parte da agricultura sem fazer qualquer tipo de pesquisa certamente levará ao seu fracasso econômico pessoal.

Passo 2: Examine suas Opções de Financiamento – Assegure seu Capital

Nem é necessário falar que um agricultor não é pago mensalmente ou a cada 15 dias como um funcionário normalmente é pago. No melhor cenário, um agricultor é pago quando ele(a) vende o produto. Isso significa que, por padrão, agricultores terão que pagar primeiro todos os custos do seu próprio bolso, muito antes de terem qualquer ganho. Portanto, você terá que garantir um capital para comprar todas entradas (sementes, mudas, fertilizantes, agroquímicos, equipamento de irrigação, salários etc.) e, claro, para pagar os seus próprios custos de vida por pelo menos seis meses ou mais. Normalmente existem várias opções quando se trata de empréstimos para agricultura caso você não possua o capital necessário. Em vários países, Agências Estatais querem encorajar novas pessoas a irem para a agricultura. Portanto, eles agem como fiadores para que agricultores possam receber empréstimos sem juros de bancos comerciais ou estatais. Instituições Internacionais também fornecem empréstimos a novos agricultores em vários países. O contrato para agricultura também pode ser uma opção. Isso significa que o agricultor e o comprador (por exemplo, uma empresa de processamento de alimentos) concordem em um certo preço de um produto antes da plantação ser feita. Em vários casos, o comprador cobre todas as despesas do plantio e, claro, esse valor é descontado dos ganhos finais do agricultor. Isso também pode ser uma forma alternativa de financiamento.

Passo 3: Tenha certeza que você possui as entradas e recursos disponíveis no momento que você precisar deles. 

Outra coisa a se considerar é se você pode ter todas entradas e recursos necessários quando você precisar deles com preços aceitáveis. Por exemplo, agricultores muitas vezes contratam trabalhadores para ajudá-los com alguns processos (por exemplo, colheita). Certamente será uma grande surpresa começar seu negócio e perceber que você não consegue encontrar nenhum trabalhador na sua área. Mesmo que sua fazenda não exija pessoal permanente, você deve garantir que você possa contratar trabalhadores temporários na hora que precisar deles. Por exemplo no caso da viticultura, a maioria dos produtores de uva precisam de um número considerável de trabalhadores para ajudá-los durante o período de colheita. Caso não consigam encontrar trabalhadores naquele momento, as uvas irão ficar mais tempo na planta e sua qualidade e valor comercial irão diminuir significantemente dentro de uma semana. Mesmo em países desenvolvidos como os EUA, agricultores experientes reportaram que abandonaram pomares comerciais de macieiras pois não conseguiam achar trabalhadores no exato momento que as maçãs precisavam ser colhidas. Produtores de algodão passam por problemas similares. A plantação fica madura e precisa ser colhida o mais rápido possível. Entretanto, o algodão não pode ser colhido manualmente; ele só pode ser colhido com tratores que custam centenas de milhares de dólares. Você pode alugar tal máquina naquele momento? Se existem vários campos de algodão em uma área e somente um pequeno número de máquinas de colheita, então apenas uma fração dos campos de algodão serão colhidos na hora certa. O resto será deixado de lado e sua qualidade e preço de mercado serão derrubados.

Consequentemente, como acontece com todas profissões e carreiras, ser um agricultor bem-sucedido não depende exclusivamente de você, mas também do seu ecossistema local e da rede que você constrói com o passar do tempo. 

 

Passo 4: Agricultura Orgânica ou Convencional? Escolher Quantidade ou Qualidade? 

Em poucas palavras, a agricultura orgânica envolve técnicas e métodos de crescimento que buscam proteger o ambiente, humanos e animais através da agricultura sustentável. Produtores da agricultura orgânica não são permitidos a usar nada sem ser substâncias biológicas tanto para fertilização quanto para proteção da plantação. Como métodos de fertilização, usam principalmente esterco, adubo ou fertilizantes orgânicos sintéticos especiais. Como medidas de proteção da plantação, eles usam principalmente armadilhas e predadores. Esse método de agricultora requer muito esforço e dinheiro e gera rendimentos significantemente menores que a agricultura comercial. Entretanto, o produtor orgânico pode vender seus produtos a maiores preços que os convencionais. Por outro lado, a agricultura convencional inclui a utilização de agroquímicos ou fertilizantes sintéticos apenas se estão de acordo com os padrões BPA.

A decisão de escolher orgânico versus agricultura convencional não é fácil. É garantido que um agricultor novato não conseguirá competir em preço. Ele(a) não possui a experiência de controlar todos os custos e produzir um produto mediano a um preço atrativo. Portanto, vários agricultores novatos preferem a agricultura orgânica. Dessa forma, eles apostam na qualidade. Eles planejam produzir uma pequena quantidade de produtos de alta qualidade que podem ser vendidos a preços muito altos. Alguns são bem-sucedidos nisso, enquanto outros não. De qualquer forma, a agricultura orgânica requer cuidados especiais, orientação e um tanto de experiência para dar certo.

Passo 5: Examinar Locais de Armazenagem e Logísticas – Transporte 

Nem todos os produtos são transferidos diretamente do campo ao mercado. Em vários casos, as plantações precisam ser armazenadas por algum tempo antes de serem transportadas para o local do comprador. Atacadistas muitas vezes são responsáveis pelo armazenamento dos produtos. Entretanto, muitos agricultores não vendem seus produtos a atacadistas. Portanto, pode ser crucial ter um local de armazenamento apropriado para a cultura que você produz. Diferentes produtos precisam de diferentes condições de armazenamento para serem apropriadamente mantidas. Em vários casos, os armazéns são construções equipadas com sensores que controlam e estimulam a temperatura, a umidade, o CO2 e as condições de luz.

O transporte pode não ser responsabilidade do agricultor na maioria dos casos. Entretanto, muitos agricultores precisam transferir seus produtos e entregar por conta própria, especialmente para compradores locais. Um agricultor que é responsável pelo transporte deve estar equipado com um veículo que atende aos requisitos do transporte seguro do produto para evitar a contaminação do produto.

Passo 6: O que um Agricultor precisa fazer – Pesquisa, Pesquisa e mais Pesquisa!! 

De acordo com o Centro de Assuntos Rurais, “na economia pré-industrial, a riqueza era diretamente ligada à propriedade de terra. Quanto mais terra você possuía, mais poderia produzir e mais dinheiro ganharia. Na economia industrial, as pessoas que tinham acesso ao capital para construir fábricas e sistemas de entrega capturaram a riqueza. Hoje estamos em uma economia baseada no conhecimento. A riqueza agora flui para aqueles que sabem algo que os outros não sabem”.

Isso é muito importante para um agricultor. Em vários casos, vemos um grupo de agricultores em uma área particular cultivando uma planta específica da mesma forma. Esses agricultores produzem exatamente o mesmo produto, porém, no fim, apenas um deles consegue vender por um preço maior. Esse agricultor pode ter feito uma pesquisa extensa em prospectar mercados externos ou selecionar um pacote diferente para seus produtos. No caso de ervas, esse agricultor por destilar o produto e vender o óleo essencial ao invés de vender a massa floral por um preço menor. Esse agricultor provavelmente será um agricultor de sucesso por muitos anos, enquanto os outros agricultores (que confiam no conhecimento tradicional) sempre irão reclamar que não estão conseguindo nenhum lucro e que a agricultura não é financeiramente sustentável. Agricultores de 2020 e além precisarão fazer extensas pesquisas (365 dias por ano se possível) em novas técnicas de cultivo e novos mercados para suas culturas já existentes, novos usos para seu produto, novas embalagens, canais de venda alternativos, novas plantações rentáveis que podem prosperar em suas regiões etc.

Para se tornar um agricultor, não é necessário um diploma. Entretanto, é essencial que você faça constantes pesquisas on-line e off-line relacionado à sua cultura e problemas de marketing. Existem vários assuntos que você precisa estar treinado para ser capaz de lidar com qualquer situação. Por exemplo, é essencial entender profundamente sua plantação. Agricultores que possuem conhecimento aprofundado sobre suas plantações como biologia básica, ciclo de vida e estágios de crescimento conseguem reconhecer possíveis anomalias fisiológicas e patológicas nos estágios iniciais. Portanto, eles possuem melhores chances de tomarem decisões rápidas baseadas em fatos e produzir produtos de qualidade com o passar dos anos. Além disso, é extremamente importante estar informado sobre o uso apropriado da água e de recursos energéticos, quais agroquímicos estão disponíveis e como usá-los de forma sábia de acordo com os padrões das Boas Práticas Agrícolas.

Em geral, apesar da pesquisa online ser absolutamente necessária, existem outras fontes de informações valiosas. Os membros da sua Associação de Agricultores local ou o Escritório da Autoridade Estatal para Agricultura local devem se tornar seus melhores amigos. Eles podem te informar das atualizações da indústria (negócios e ciência), por exemplo, surtos de doenças, mudanças no arcabouço legal, novos mercados para seus produtos, novos compradores potenciais, empréstimos para culturas específicas etc. É claro que você deve questionar tudo e, no final do dia, você é responsável pela decisão que você tomar. Entretanto, uma boa informação de especialistas locais é sempre bem-vinda e muitas vezes pode levar a decisões inteligentes.

Passo 7: Examine as Regulações Locais e Universais sobre sua área de interesse.

Boas Práticas Agrícolas (também conhecido como BPA) são uma série de métodos que fazendeiros devem aplicar para proteger sua própria saúde e bem-estar, a saúde e bem-estar das pessoas que consomem seus produtos e o ambiente. Padrões podem diferir de um país para outro por conta de questões regulatórias e legais, porém o princípio continua o mesmo. As regras e princípios das Boas Práticas Agrícolas como um todo criam uma mentalidade de prevenção, ao invés de resolução.

A implementação das Boas Práticas Agrícolas começa antes do estabelecimento de culturas. Por exemplo, se você escolher um campo altamente contaminado, mesmo que você faça tudo corretamente, seu produto provavelmente ainda será perigoso para o público em geral. 

A implementação das BPA certamente irá levar um aumento da renda no longo termo para fazendeiros e, ao mesmo tempo, nos ajudará a consumir alimentos mais seguros e de maior qualidade. Por último, a sustentabilidade ambiental é aplicada através da implementação de princípios básicos das Boas Práticas Agrícolas. Treinamento e educação constantes são essenciais para fazendeiros e todas as pessoas envolvidas na cadeia produtiva de produtos agrícolas e não-agrícolas.

No nosso mundo moderno com agricultura renovada, cada agricultor profissional tem que considerar, separadamente de expandir sua produção, estar alerta e em conformidade com os princípios e orientações da agricultura sustentável. Muitas agências, empresas de processamento de comida e revendedores globalmente aplicam os padrões BPA para seus fornecedores para aumentar a qualidade dos seus produtos agrícolas. Produtores que não seguirem esses padrões irão, eventualmente, ficar para trás.

A globalização e o comércio internacional deram a oportunidade a revendedores de facilmente buscar novos fornecedores certificados pela BPA.

Pecuária

A pecuária é um campo muito mais complicado que a Agricultura e requer financiamento pesado e engajamento pessoal. É crucial saber que nem todas instalações de pecuária comercial são permitidas em todas áreas. Além disso, a maioria dos países possuem regras rigorosas sobre a distância que uma instalação de pecuária deve ter de uma área povoada. Você deve ser informar sobre as regulações da sua área antes de começar qualquer atividade.

Quando se trata de pecuária, o campo que você vai escolher fazer sua instalação é muito importante. Mais uma vez, caso você seja dono de um campo em uma área que você pode manter animais, as coisas são fáceis. Por outro lado, caso você precise alugar ou arrendar a terra, você vai ter um custo de produção significantemente maior e pode ser forçado a sair dali em algum momento. De qualquer forma, tenha certeza de assinar um contrato razoável com o dono da terra.

O custo de instalação é maior para pecuária. A pecuária comercial envolve um investimento pesado para construir instalações apropriadas e legítimas de pecuária além de abrigar os animais de forma apropriada. O equipamento moderno de ordenha também é caro. Existem também outros custos associados com a alimentação e vacinação dos animais. Ficar em conformidade com padrões de higiene e ter um bom plano documentado de manejo de resíduos é essencial.

Novamente, é crucial decidir qual tipo de pecuária você quer ter. Nem todos animais são apropriados para todos. Os animais que você vai criar serão parte da sua vida e família. Você vai passar a maior parte do dia com eles. Portanto, é crucial tomar uma sábia decisão. Uma boa técnica é começar com 2-3 animais no seu quintal (se isso for legal) para ver se você consegue se adaptar a essa profissão.

Caso você consiga lidar com esse novo estilo de vida, então você pode começar a se perguntar as questões mencionadas acima. Que vai comprar seus produtos? Qual é o número de potenciais clientes na sua região para seu leite, carne ou ovos? Qual o preço que eles pagam por produtos similares? Eles pagam em dinheiro ou no cartão? Quando eles compram o produto? Você precisa de armazéns para que você tenha mais tempo para negociar um melhor preço? Você pode exportar seu produto (encontrar compradores de outros países)? Existe uma demanda real para o produto que você escolheu? Você pode, eventualmente, lucrar com isso tudo (Lucro = Ganhos Totais – Custos Totais)?

Esta publicação também está disponível em: English Español Français العربية Deutsch Русский Ελληνικά Türkçe हिन्दी Tiếng Việt Indonesia

Equipe Editorial do Wikifarmer
Equipe Editorial do Wikifarmer

Wikifarmer é a maior Biblioteca de Agricultura Online Gerada pelo Usuário, que ajuda todos os agricultores em todo o planeta a encontrar informações valiosas sobre suas culturas existentes ou potenciais e criação de gado. O usuário é o único responsável pelo uso, avaliação, análise e utilização de qualquer informação fornecida neste site. Qualquer negócio ou outras decisões tomadas em tais informações é de inteira responsabilidade do usuário e o Wikifarmer.com não é obrigado a cobrir prejuízos decorrentes do uso das informações fornecidas através deste site.